• Maria Luiza Valeriano

Pensamentos negativos podem levar ao Alzheimer

Talvez seja hora de praticar a positividade para construir um futuro saudável

É utópico não estressar com os problemas da vida adulta como contas vencidas, pressão no trabalho e o medo do envelhecimento, mas estudos mostram que estressar sobre o futuro, ou até mesmo o passado, pode prejudicar drasticamente a vida. Em pesquisa realizada pelo Departamento de Saúde Mental da Universidade de Londres, afirmam que há ligação entre o declínio cognitivo e o pensamento negativo.


"Nós propomos que pensamento negativo repetitivo pode ser um novo fator de risco para a demência", segundo autora responsável pelo estudo, Dra. Natalie Marchant, psiquiatra e pesquisadora da Universidade de Londres.

A pesquisa acompanhou mais de 350 pessoas acima de 55 anos por dois anos. Cerca de um terço fizeram exames de PET - Tomografia por Emissão de Positrões - para medir os depósitos de tau e beta-amilóide, duas proteínas que causam a doença de Alzheimer, o tipo mais comum de demência. Os resultados mostraram que aqueles que passaram mais tempo ruminando o passado ou preocupando sobre o futuro tinham mais acúmulo de tau e beta-amilóide, memória ruim e um declínio cognitivo maior em quatro anos comparado ao grupo mais otimista.


Como os depósitos das substâncias maléficas não aumentaram em pessoas já depressivas e ansiosas, cientistas acreditam que o pensamento negativo é a principal causa da desenvolvimento do Alzheimer através da depressão e ansiedade


"Esse é o primeiro estudo que mostra uma relação biológica entre pensamento negativo repetitivo e a patologia do Alzheimer, e dá aos médicos uma forma mais precisa de avaliar riscos e oferecer intervenções específicas", disse o neurologista Dr. Richard Isaacson, fundador da Clínica de Prevenção do Alzheimer em Nova Iorque - Centro Médico Presbiteriano e Weill Cornell.

É importante ressaltar que a pesquisa foi realizada em pessoas com risco pré-existente e que é necessário testar a hipótese na população geral. Cientistas também irão testar se meditação e demais técnicas de relaxamento podem contribuir contra o declínio cognitivo.


Lado positivo


Pesquisas anteriores afirmam que o otimismo contribui para maior qualidade de vida e evita problemas cardiovasculares. Também há ligação entre o pensamento positivo e dietas saudáveis e exercício físico, imunidade forte e melhor funcionamento pulmonar. Isso pode ser dar devido ao otimista ser mais inclinado a ter hábitos saudáveis e evitar cigarros, segundo cardiologista Dr. Alan Rozanski, professor da Icahn Escola de Medicina Monte Sinai. Inúmeras pesquisas afirmam que o otimismo é uma ferramenta importante para uma vida boa e nunca é tarde para começar a praticar.


Receba nossas atualizações