• glecillacolombelli

Paul Langevin e o paramagnetismo


No filme Radioactive, que conta a história da Marie e Pierre Curie e, claro, do surgimento da radioatividade, há uma personagem que quase passa despercebido, mas que também foi (e é) considerado um gênio da ciência. No filme, ele só é apresentado como Paul e que era assistente do Pierre.


O nome dele completo é Paul Langevin. E para quem é da área da Física esse cientista é muito importante, em especial, para a área do magnetismo.


O físico francês Paul Langevin (1872-1946) foi o primeiro cientista a propor um modelo microscópico para explicar o diamagnetismo e o paramagnetismo dos materiais.


Os materiais podem ser classificados magneticamente de acordo com o tipo de interação entre os momentos magnéticos e as classificações são:

  • diamagnéticos (magnetismo fraco)

  • paramagnéticos (magnetismo fraco)

  • ferromagnéticos (magnetismo forte)

  • antiferromagnéticos (magnetismo forte)

E, em 1905, Langevin propôs um modelo para explicar o paramagnetismo e demonstrou que a magnetização M é dada pela seguinte equação: M=NuL(x), em que x = uH/kT e L(x) = cotgh(x-1/x), mais conhecida como função de Langevin. De forma sucinta, Langevin mostrou a dependência do paramagnetismo com a temperatura. O gráfico abaixo exibe a magnetização em função do campo aplicado e mostra os valores teóricos e experimentais de três íons magnéticos em que pode-se observar a coerência dos valores teóricos e experimentais.


No filme Radioactive apenas retratam Paul Langevin como um caso amoroso de Marie Curie, mas ele foi também, sem sombras de dúvida, um físico muito talentoso e que muito contribuiu para a nossa ciência!


Referências:


[1] http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/vol16a09.pdf

Posts recentes

Ver tudo

18/06: Dia do Químico

No dia 18 de junho comemora-se o Dia do Químico, profissionais indispensáveis para o desenvolvimento da ciência e das tecnologias da nossa sociedade. Mas, por qual razão o dia 18 de junho é considerad