• Maria Júlia

Covid-19: como cuidar da saúde mental em tempos de pandemia?


Como analisar as consequências diretas e indiretas, de curto e longo prazo, da pandemia da COVID-19 para a saúde mental dos indivíduos? As medidas restritivas de isolamento social, bem como as incertezas em diversos aspectos da vida, sobrecarregam os indivíduos com o estresse, que resulta no aumento da ansiedade e da depressão, o que preocupa os sistemas públicos de saúde mental para a população mundial. As dificuldades no controle da raiva e de outras emoções (resultantes da frustração de várias necessidades que não podem ser satisfeitas devido às restrições), podem levar a um quadro de ansiedade crônica.


A ansiedade e os estados depressivos são as reações para uma situação externa perigosa, as categorias de “saúde mental” e “transtorno mental” precisam ser reconsideradas. Foram analisados resultados de estudos sobre os aspectos psicossociais das pandemias anteriores (SARS e Ebola) e publicações de imprensa selecionadas com base em seu conteúdo sobre questões de saúde mental no contexto da pandemia do Coronavírus. A saúde mental é um dos problemas de saúde pública mundial oficialmente reconhecidos para pelo menos duas décadas (OMS, 2001).


O estado da pandemia e suas consequências (assim como qualquer crise social) é uma fonte de estresse massivo, que sobrecarrega os indivíduos e afeta sua condição mental (DONG; BOUEY 2020). A pandemia da COVID-19 atende aos critérios de trauma social no sentido de que leva a mudanças rápidas, inesperadas e muitas vezes radicais em diversas áreas da vida social (como economia e política, bem como a vida cotidiana dos indivíduos).


Com base nos dados sobre o impacto da crise econômica na saúde mental, podemos prever que, como conseqüências do desemprego, haverá um aumento dos problemas de saúde mental, como depressão, abuso de substâncias, vícios e tentativas de suicídio. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o mês de setembro do ano de 2020, foi o mês de maior pico de desemprego, atingindo a marca de 14%, sendo considerado o maior resultado da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid (Pnad Covid-19).


Neste contexto, as empresas que oferecem plataformas de teleterapia (Talkspace2) e aplicativos de saúde mental (Headspace3) notaram um tremendo aumento na busca por esse atendimento online. Pesquisas sobre esse assunto descobriram que pacientes que sofrem de depressão que receberam terapia cognitivo-comportamental por telefone, bem como aqueles que se encontraram pessoalmente com um terapeuta, experimentaram melhorias em sua condição mental, mas com algumas diferenças.


Enquanto mais daqueles que receberam terapia por telefone permaneceram com a terapia, uma proporção maior deles experimentou a recaída da depressão após seis meses. Aqueles que participaram da terapia face a face tiveram um resultado ligeiramente inferior taxa de permanência na terapia, mas eram mais resilientes (WATZKE et al., 2017). Nas situações de crise pandêmica pelo trauma social e individual acarretado por ela é importante buscar ajuda profissional.

____________

2 A Talkspace é uma empresa de terapia online e móvel com sede na cidade de Nova York. Foi fundada por Oren e Roni Frank em 2012. Os usuários do Talkspace têm acesso a terapeutas licenciados por meio do site ou aplicativo móvel em iOS e Android.

3 Headspace é uma empresa de saúde on-line inglesa-americana, especializada em meditação. Foi incorporado em maio de 2010 em Londres, Inglaterra, por Andy Puddicombe e Richard Pierson. Está sediada em Santa Monica, Califórnia, com escritórios em San Francisco e Londres.


Referencias


CASTOR, K.G. SILVA, D. S. Ações e Experiências para o Enfrentamento da Pandemia de COVID-19 / Organizador Oswaldo Hideo Ando Junior. –Ponta Grossa - PR: Atena, 2021. Cap. 13, saúde mental nos tempos pandêmicos.

Posts recentes

Ver tudo