• glecillacolombelli

Como os físicos estão atuando no combate ao novo coronavírus?

Os físicos têm contribuindo tanto na caracterização do SARS-CoV-2 quanto no desenvolvimento de simulações (modelos físico - matemático) que podem prever, por exemplo, a taxa de contaminação em situações especificas, o que é fundamental para a compreensão da extensão do contágio do vírus. Podemos citar também os físicos médicos que atuam nos hospitais trabalhando com as técnicas de diagnóstico de imagens (aliás, para os casos da covid-19 as técnicas mais utilizadas são: tomografia computadorizada do tórax e ultrassonografia pulmonar; entretanto os exames de imagens não são feitos em todos os casos confirmados de covid-19; há um protocolo que deve ser seguido) [1].

De forma sucinta, pode-se dizer que há duas linhas principais de pesquisa que os físicos atuam para compreender o novo coronavírus:

A primeira seria a caracterização microestrutural do vírus SARS-CoV-2 que ocorre através das técnicas de Difração de Raios X (DRX) e a Crio Microscopia Eletrônica (essa técnica é uma forma de microscopia eletrônica de transmissão na qual a amostra biológica é estudada a baixíssimas temperaturas e preservada em gelo amorfo [2]). O objetivo dessas técnicas é compreender as características microscópicas do novo coronavírus.

Aliás, o acelerador de partículas brasileiro Sirius, que gera luz síncroton que é um tipo de radiação eletromagnética capaz de revelar a microestrutura de materiais orgânicos e inorgânicos, revelou detalhes do novo coronavírus em uma das primeiras linhas de luz em funcionamento no local - a Manacá. Esse estudo foi feito em cristais de proteínas do Sars-Cov-2 chamados de 3CL [3]. A estação Manacá do Sírius é dedicada à cristalografia de proteínas usando a Difração do Raios-x que pode revelar a posição de cada um dos átomos que compõem a proteína/material a ser estudado [3].

Já a técnica de criomicroscopia permiti que os cientistas estudem as moléculas biológicas com alta resolução, além do que é capaz de capturar imagens de moléculas biológicas em resolução atômica o que ajuda os pesquisadores a compreenderem as estruturas desses materiais, assim como há a possibilidade de explorar os processos biológicos comparando as imagens tiradas em diferentes momentos [4]. De acordo com a referência [4], esta técnica também é muito poderosa para ajudar os cientistas a desenvolverem medicamentos, pois pode-se utilizá-la para a visualização de como os anticorpos podem agir no vírus.

Nesta técnica, a preparação da amostra é realizada através do congelamento rápido da amostra que preserva o estado nativo.

A segunda linha de pesquisa que os físicos atuam para compreender o novo coronavírus e combater a pandemia é buscando prever como o vírus se propaga através de modelos físico – matemáticos. Por exemplo, criando um modelo de como seria a propagação do vírus se as pessoas acima de X anos ficassem em casa. As simulações ou modelos ajudam a entender e prever os possíveis cenários da pandemia e, assim, auxiliar nas tomadas de decisões do Ministério da Saúde, por exemplo.

Os físicos também atuam em pesquisas que buscam compreender a dinâmica do contágio da Covid-19.

Enfim, essas são algumas frentes que os físicos podem atuar para auxiliar a ciência na compreensão do novo coronavírus.


Referências:


[1] FACULDADE DE MEDICINA (UFMG). Exames de imagem têm papel estratégico no diagnóstico e monitoramento da covid-19

Disponível em:

https://www.medicina.ufmg.br/exames-de-imagem-tem-papel-estrategico-no-diagnostico-e-monitoramento-da-covid-19/ Acessado em: 10 mar. 2021.

[2] LNNano - Laboratório Nacional de Nanotecnologia - Criomicroscopia

https://lnnano.cnpem.br/instalacoes/microscopia-e-criomicroscopia/criomicroscopia/ Acessado em: 11 mar. 2021.

[3] CNPEM – Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais. Acelerador de partículas Sirius revela detalhes do coronavírus em 1º estudo

Publicado em:21/07/2020

Disponível em:

https://cnpem.br/acelerador-de-particulas-sirius-revela-detalhes-do-coronavirus-em-1o-estudo/ Acessado em: 11 mar. 2021.

[4] HENRIQUE, Diógenes. O que é a microscopia crio-eletrônica, a técnica vencedora do prêmio Nobel? Disponível em: https://socientifica.com.br/o-que-e-microscopia-crio-eletronica-tecnica-vencedora-do-premio-nobel/. Acesso em: 11 mar. 2021.

Posts recentes

Ver tudo

Quem é Márcia Cristina Bernardes Barbosa?

Em 2020, Márcia Barbosa foi mencionada pela ONU Mulheres como uma das sete cientistas que moldam o mundo [1]. Você conhece essa professora e pesquisadora brasileira? Ela é professora titular da Unive

A Periferia e a Comunicação em tempos de Pandemia

Margareth Santos Margareth dos Anjos Santos – Coautora do livro “Negras Crônicas – Escurecendo os Fatos”, lançado em setembro/2019, na Bienal Internacional do Livro, no Rio de Janeiro. Doutoranda em A

Receba nossas atualizações